Geraldo defende uso do Hospital da Mulher para pacientes de coronavírus em Dourados

O secretário estadual de Saúde Geraldo Resende afirmou nesta segunda-feira (29) em Dourados que Hospital da Mulher e da Criança do HU-UFGD (Hospital da Universidade da Grande Dourados), que deve ficar pronta até dia 31 de julho e que a estrutura do primeiro pavimento talvez seja concluída até o dia 30 de junho,   pode ser usada como referência no combate ao coronavírus, caso seja necessário.

A proposta foi apresentada durante participação na Tribuna Livre da sessão online da  Câmara Municipal de Dourados e pode ajudar no atendimento da população no enfrentamento  à pandemia. “Hospitais de campanha são estruturas débeis e exigem recursos  muito grandes. Nós temos hospitais já quase prontos que podem muito bem ser utilizados para essa finalidade”, disse Resende.

Segundo o secretário, a taxa de ocupação dos leitos hospitalares é uma questão que preocupa todos os dias em todo o Mato Grosso do Sul e principalmente em Dourados, que nas suas palavras já ocupa 63% dos leitos disponíveis. “O crescimento do coronavírus em  Dourados é a maior preocupação da secretaria. Estamos acompanhando todos esses casos com monitoramento e ao mesmo tempo com o rastreamento da doença”, disse ele.

Sem entrar no embate político a respeito das medidas que estão sendo adotadas pela administração municipal, Geraldo ressaltou que o Estado “está fazendo tudo que poderia ser feito”.  Segundo ele, o município tem recebido todo o apoio necessário, com a cedência de servidores, envio de EPIs (Equipamentos de proteção Individual) e liberação de recursos para serem aplicados no combate à doença.

Leônidas

Enfático, o secretário lembrou situações complexas de outros municípios que foram resolvidas com a união de esforços. “Se foi possível enfrentar surtos em Guia Lopes, Brasilândia e agora em Rochedo por que não podemos enfrentar aqui em Dourados? “, questionou Geraldo, ressaltando que “a postura de prefeitos em tempo de coronavírus têm que ser contagiosas”.

“Me apelidaram de Leônidas, aquele General que com 300 espartanos enfrentou mais de 10 mil inimigos. Precisamos ser todos os dias um Leônidas”, disse o secretário de saúde relatando que ele e a equipe não tem tido finais de semana nem feriados nos últimos 130 dias no enfrentamento da pandemia. “O coronavírus é um inimigo é muito cruel e ardiloso. Não respeitou países. Não respeitou a principal potência do mundo e não respeitou governo nenhum”, concluiu.


Crédito imagem: (Foto: Reprodução)

Crédito matéria: Marcos Morandi