Mortes por Covid-19 impactam Poderes Executivo e Legislativo de MS

Mato Grosso do Sul chegou ao sétimo detentor de mandato eletivo morto pela Covid-19 neste sábado (1º). Prefeito de Miranda, Edson Moraes (PSDB) morreu hoje após um mês de internação.

Até agora, a SES (Secretaria de Estado de Saúde) contabiliza 5.759 óbitos e 249.033 casos confirmados.

O vereador José Agostim Acosta Neto, conhecido como Zé Corim, de 67 anos, foi o primeiro vereador a falecer por conta da doença causada pelo novo coronavírus. Parlamentar de Terenos, ele morreu em 31 de julho de 2020.

Em 9 de agosto, a vice-prefeita de Inocência, Neusa Junqueira (PL), morreu no Hospital Auxiliadora, em Três Lagoas. Foi a primeira morte registrada em Inocência.

O deputado estadual e candidato a prefeito de Naviraí, Onevan de Matos (PSDB), morreu em 13 de novembro, em hospital de São Paulo. Ele já havia se recuperado da Covid-19, mas ainda se tratava das complicações da doença.

Já em 15 de março de 2021, a vereadora Neli Facincani (PDT), de Angélica, faleceu em um hospital de Dourados. Ele contraiu o novo coronavírus quatro dias antes.

No dia 23, o presidente da Câmara Municipal de Tacuru, Paulo Mello (PTB), morreu no Hospital Regional Dr. José de Simone Netto, em Ponta Porã. Ele foi prefeito interino da cidade entre janeiro e junho de 2017.

Dez dias depois do falecimento da esposa, o vereador de Costa Rica Antônio Rodrigues de Oliveira (PSDB), de 52 anos, morreu em 1º de abril. Ele foi inicialmente internado na internado na FHCR (Fundação Hospitalar de Costa Rica), mas precisou ser transferido para a Santa Casa de Campo Grande.

E neste sábado, o prefeito de Miranda, Edson Moraes, morreu em um hospital da Capital. Ele começou o tratamento em uma unidade hospitalar da cidade no oeste do Estado, mas foi transferido para Campo Grande, onde acabou não resistindo.


Crédito imagem: Divulgação

Crédito matéria: Adriel Mattos