Bar Kiwi Tropical e Clan Bier são lacrados por funcionar fora do horário

Durante as ações do toque de recolher na Capital no sábado (19), a Guarda Municipal interditou o Bar e restaurante Kiwi Tropical, localizado na Avenida Afonso Pena, por funcionar além do horário permitido, com 15 clientes consumindo produtos no local. O proprietário do local foi encaminhado para a delegacia. Outros cinco estabelecimentos também foram interditados durante a operação.

Segundo o boletim de ocorrência, o dono do bar, Daniel Victor Rodrigues Gehlen, 37 anos, passou a gritar com as auditoras dizendo que a ação era ilegal e arbitrária. Ainda na situação, ele disse que processaria todos os envolvidos, retirou o laudo da fiscal e fez menção que iria amassar o papel. Daniel chegou a dizer ainda que o governador e o prefeito “eram uns bostas”.

Ele foi levado até a delegacia por desacato e continuou resistindo, dizendo que era amigo de chefes da Guarda. O boletim de ocorrência foi registrado como desacato e medida sanitária preventiva na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) Centro.

Outro bar interditado foi o Clan Bier, localizado no mesmo bairro. Após denúncia por aglomeração e desrespeito às regras contra a covid-19, equipe da GCM encerrou festa com cerca de 120 pessoas.

Seguindo entendimento da Vigilância Sanitária, o local foi lacrado por não cumprir exigência sobre distanciamento entre clientes e também ultrapassou o horário do toque de recolher.

Conforme decreto municipal que reclassificou a Capital com bandeira vermelha, estabelecimentos que sejam flagrados desrespeitando as medidas serão interditados por 72 horas. Em caso de reincidência, o local será interditado por mais sete dias e, em um terceiro flagrante, poderá ter o alvará cassado.

Fiscalização - Durante a fiscalização das equipes da Guarda Civil Metropolitano (GCM), flagraram 92 pessoas fora de casa e 24 locais de comércio, como bares e conveniências abertos fora do horário permitido. 

Foram 280 atendimentos pelo número de denúncia 153. Na operação integrada com Procon, Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (Semadur), Agência Municipal de Trânsito (Agetran) e Vigilância Sanitária, foram 323 estabelecimentos comerciais irregulares.

Junto com o Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul (Detran-MS), foram fiscalizados 378 veículos e 27 notificações expedidas. Do total, 14 veiculos foram removidos, sendo nove carros e cinco motos.

 
 

 

 

 

 


Crédito imagem: Divulgação

Crédito matéria: Brenda Assis