Decretada prisão preventiva de ex-secretário que bateu na esposa e ameaçou enteado em MS

O Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul decretou a prisão preventiva do ex-secretário de saúde de Dourados, Renato Oliveira Garcez Vidigal, por ter agredido a esposa e ameaçado o enteado em um hotel de Bonito, a 297 quilômetros de Campo Grande. A decisão da juíza Melyna Machado Mescouto homologou a prisão neste sábado (8).

Conforme o processo, a defesa pediu a concessão da liberdade provisória, porém, o Justiça manteve a prisão convertendo do flagrante para preventiva. “Assim, para a decretação da custódia preventiva do autuado, imperioso demonstrar a materialidade do delito, haver indícios suficientes de autoria que recaiam sobre ele”, pontua a decisão.

Consta nos autos da prisão em flagrante que o casal começou a discutir após um acidente de trânsito. A vítima conta que o esposa a apertou e atirou um copo em seu rosto, logo em seguida a ameaçou dizendo que a mataria junto com o filho caso denunciasse à polícia.

Por sua vez, ele disse que foi arranhado na perna e que isso teria sido motivo para ter revidado. O exame de corpo de delito comprovou a lesão, porém, a juíza decidiu que a relação causal de que ele teria agido em legítima defesa, não fez parecer presumível ou motivo para gerar a agressão.

“A violência e a ameaça teriam sido perpetradas no interior de um hotel, de alto padrão, na cidade de Bonito, bem movimentado em período de férias, o que demonstra o alto grau de periculosidade do flagrado. Não fosse isso bastante, a liberdade do imputado representa perigo para a vítima, que teme por sua integridade física/psicológica, tanto é que solicitou medidas protetivas em seu favor, existindo um histórico de violência que não pode ser ignorado.”, relata a decisão da magistrada.

Os autos do processo também ressalta que o cargo de relevância de Renato, como médico da UTI (Unidade de Terapia Intensiva) de um hospital particular de Corumbá, não é suficiente para a concessão da liberdade provisória, além da promessa de se afastar imediatamente da casa do casal também não ser suficiente para segurança da vítima e do filho.

Histórico em Dourados

Renato Vidigal ficou à frente da Secretaria Municipal de Saúde entre janeiro de 2017 e dezembro de 2018, durante a gestão Délia Razuk.

Ele também foi alvo da Operação Purificação, que investiga esquema de corrupção na pasta a qual comandava e chegou a ser preso pela Polícia Federal em novembro de 2019. O ex-secretário foi condenado em março do ano passado a 11 anos de prisão e devolução aos cofres públicos de valores superiores a R$ 500 mil.


Crédito imagem: Divulgação

Crédito matéria: Karina Campos