Obra em supermercado na Joaquim Murtinho gera reclamações

Alguns moradores, comerciantes e transeuntes da Joaquim Murtinho, reclamaram das obras do Hiper Comper, principalmente pelo fato da entrada e saída dos caminhões estarem “atrapalhando” o trânsito.

Ao JD1, foi relatado que o trânsito fica parado por muito tempo, principalmente nos horários de pico. “O Hiper Comper tem feito entrada e saída de caminhões todos pela Joaquim Murtinho que é uma via arterial e de alto fluxo, e isso tem criado esse transtorno, no entanto, tem outra entrada pela Avendia Ricardo Brandão, que possui 3 pistas em um único sentido e que não tem tanto fluxo, não iria atrapalhar tanto quanto na Rua Joaquim Murtinho", relatou um dos moradores.

Segundo o relato, já foi solicitado que o Comper fizesse essa alteração, mas não foram atendidos. “Levo cedo minha filha para a escola, busco no almoço, levo depois do almoço e busco novamente e nesses horários o trânsito fica totalmente paralisado naquele trecho”, contou Jean, filho de um dos moradores da região. “Meu pai mora lá e alguns vizinhos disseram que já foram conversar informalmente com a empreiteira, que disse que seria só por alguns dias, mas eles abriram ainda mais a entrada da esquina da Rua Joaquim Murtinho com a Rua dos Vendas para que caminhões maiores ainda possam manobrar para entrar e sair".

O incômodo, no entanto, não é compartilhado por todos, Sérgio Parana da Paraná Bikes na Joaquim Murtinho, falou que para o comércio o movimento é bom, pois motoristas tem mais tempo para olhar, porém, os mesmos motoristas sempre reclamam do trânsito, “Pessoal dos outros comércios tentou colocar uma faixa elevada, porque aqui é um trânsito rápido, mas daqui a pouco já passa”, relatou.

Responsável por uma loja de vidros na mesma rua, uma comerciante que preferiu não se identificar, falou que as obras do novo hipermercado causam um “caos”. Ela leva em conta que os serviços se juntam aos dos prédios da Plaenge e acarreta a rua Itaquiraí, por ser muito estreita. “Um engenheiro do Comper falou que aumentariam a rua em sete metros de largura, e estamos esperando”. 

Ela conta que a passagem de caminhões já resultou em fios arrebentados em duas ocasiões em que ficaram sem energia e telefone por mais de 24h. Ela reforça que poderiam fazer a entrada e saída de caminhões na Ricardo Brandão, ao invés da Joaquim Murinho, mas disse que entende o serviço. “Construção da dor de cabeça mesmo, então já era previsto”, concluiu.

No local o JD1 falou com um dos chefes da construção que afirmou que a rua Itaquiraí de fato está sendo alargada, e que todas as modificações de estruturas já foi aprovada e está sendo implementada com o aval da Prefeitura de Campo Grande.

 


Crédito imagem: JD1

Crédito matéria: JD1